Poltergeist

Descobri que o Cauê é sonâmbulo. Aconteceu por acaso: coloquei os moleques para dormir, em um fim de semana que ele estava em casa, e fui pra cama. Eu estava quase dormindo quando escutei um barulho vindo da sala; na hora não dei importância mas a Fê insistiu para que eu fosse lá ver o que era. Como ordem dada é ordem cumprida, levantei para ver a origem do barulho.

Levei uns segundos para entender a cena: Cauê estava do lado da porta da rua, fazendo embaixadinhas com uma bola imaginária. Claro que eu não achei que fosse sonambulismo, fui até ele e perguntei o que ele estava fazendo fora da cama, mas foi só encostar que ele soltou uns resmungos incompreensíveis e relaxou, quase caindo no chão. Segurei ele meio assustado e o levei para a cama.

Voltei para a cama e contei para a Fê o que havia acontecido. Ela duvidou, depois riu e cogitou se ele poderia ser sonâmbulo. Ficamos de conversar com os pais dele de manhã, e por via das dúvidas eu voltei para a sala e tirei a chave da porta. Tentei dormir de novo.

Não sei quanto tempo depois, eu ouvi um barulho vindo do quarto do João. Levantei e fui lá ver o que era, e quando cheguei a cena era a seguinte: Cauê estava sentado na cama, com as pernas cruzadas, enrolado no lençol até a cabeça, balançando para frente e para trás falando alguma coisa que eu, de novo, não consegui entender. Ao lado dele, João Guilherme dormia tranquilamente, sem a menor noção do que acontecia. Fui até ele e o deitei, e ele continuou a dormir como se nada tivesse acontecido.

Só que aí quem não dormiu mais fui eu. Me bateu uma paranoia de que o Cauê levantaria de novo e dessa vez levaria alguma coisa para me atacar, ou a Fê, ou o João e eu fiquei o resto da noite encolhido na cama, assustado e atento a cada barulhinho que vinha do quarto deles, no maior clima de filme de terror, mas não aconteceu nada, claro. Eu que estava alucinando por causa da noite mal dormida.

Ah, e só para constar, confirmamos com os pais dele que ele tem tido crises de sonambulismo, mas na noite seguinte, ainda lá em casa, ficou tudo calmo. Só eu que demorei um pouquinho ter certeza disso e finalmente conseguir dormir.

2 comentários sobre “Poltergeist

  1. Eu e Fiona, rolando de rir ontem à noite, ao ler essa história.
    E morrendo de medo de fazer muito barulho ao rir, porque as crianças poderiam acordar.

    Rapaz, na hora foi assustador.

  2. Pingback: A fuga | Bobeatus Sunt...

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s