Turismo em Bonito: modo de usar

A primeira providência para começar a aproveitar Bonito e suas muitas atrações naturais deve ser tomada antes mesmo de ir para lá, e eu acho que é uma das infromações mais importantes que se deve ter para evitar atropelos.

Explico: os parques, rios e cachoeiras ficam em fazendas afastadas da cidade, e não têm bilheteria, por isso é impossível simplesmente ir até lá e tentar comprar um ingresso; também não dá para comprar o ingresso independentemente pela internet. Deve-se, isso sim, procurar uma das agências de turismo da cidade, que vão lhe ajudar a montar seu roteiro. Para isso, o turista manda um email informando quantos dias pretende ficar e receberá um “cardápio” com as opções recomendáveis de passeio, das quais poderá escolher as que pretende conhecer, quantas quiser. Ou, ao contrário, informa para a agência o que pretende fazer e pergunta quantos dias são necessários. Ou diz o que pretende fazer e vê como isso pode ser encaixado na disponibilidade te tempo, enfim. O que é importante saber é que não há possibilidade de ir a lugar nenhum sem a participação de uma agência de turismo.

“Ah, mas isso é um absurdo, é corporativismo, é prática anticoncorrencial, é violação dos direitos do consumidor!”, você dirá, indignado leitor. Não é bem assim. As atrações ficam em áreas especiais de terras federais concedidas para exploração eco-econômica sustentável, portanto o acesso é controlado, e é feito em parceria entre os proprietários das fazendas onde as terras estão e as agências de turismo. Além do mais, os preços dos ingressos são tabelados, e o que diferencia cada agência é a qualidade dos serviços e a cobrança de uma ou outra tarifa própria.

Nós escolhemos, depois de uma pesquisa no Portal Bonito, a Big Tour. Mandamos um email dizendo o que pretendíamos fazer (flutuação em rio, conhecer cachoeiras e explorar cavernas) no tempo de que dispúnhamos, e eles nos mandaram um roteiro bem joinha. concordamos, fizemos o depósito do sinal e fomos.

O restante do pagamento é feito na própria sede da agência, em Bonito. Lá, recebemos os voucheres de cada atração, que contêm a data e o horário da visita e a turma designada para o turista. Junto com os voucheres recebemos mapas para as atrações, bem simples mas que resolveram. É bem fácil se deslocar por Bonito, mas sem os mapas o turista estará perdido, porque as placas de sinalização são bem escassas – lembre-se do que eu já disse, não adianta tentar usar seu GPS de celular, ele não funciona.

image

Mapa: simples, mas eficiente - e essencial

Os voucheres são entregues na recepção da fazenda onde fica a atração visitada. O recepcionista identifica a turma na qual o turista foi colocado e indica onde esperar o guia que o conduzirá pela atração. São grupos pequenos, que não chegam a quinze pessoas. O guia aparece na hora marcada, faz um briefing de segurança, dá as instruções necessárias e não sai até que todos estejam devidamente equipados. Durante o passeio conta histórias, dá informações relevantes sobre o lugar, verifica se todos estão bem, faz demonstrações práticas, quando necessário e é solícito para tirar dúvidas e responder perguntas. Sem exagero, um espetáculo de eficiência. E nem sugere o pagamento de caixinha!

Semana que vem vamos, finalmente, começar a falar sobre o que vimos e fizemos em Bonito.

Um comentário sobre “Turismo em Bonito: modo de usar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s