Dia 15: um gol, zero caspa

O último dia de jogos da fase de grupos foi fraco, bem fraco. Mas não dava mesmo pra esperar muito dos times do grupo H, cujas seleções nem deveriam estar na Copa, pra começar. Talvez se possa fazer uma exceção quanto à Argélia, que pelo menos mostrou vontade de fazer alguma coisa, e acabou premiada com a classificação para as oitavas de final. Mas Bélgica, Coreia do Sul e Rússia, francamente… pior é que, na falta de coisa melhor, a Bélgica ainda conseguiu se classificar em primeiro no grupo e com 100% de aproveitamento! Só que futebol, que é bom…

A Rússia é um time horroroso: lento, pesado, fraco, joga uma bola quadrada toda vida. O mais incrível é que conseguiu ficar à frente de Portugal nas eliminatórias, levando-o a disputar a repescagem das eliminatórias com a Suécia, a qual ganhou com duas vitórias categórias. Aí a gente pensa o seguinte: a Rússia, que é essa tranqueira horrorosa, conseguiu ser melhor que Portugal nas eliminatórias europeias, então, em uma análise mais fria, observando o retrospecto, não dava pra esperar muita coisa de Portugal, com Cristiano Ronaldo e tudo.

Cristiano não correspondeu, mais uma vez, ao que se espera dele quando o assunto é a seleção de seu país, mas também, o que se pode exigir dele quando se olha ao redor e se vê os jogadores que a compõem? ele é muito maior do que a própria seleção de hoje, que não tem recursos técnicos para acompanhá-lo. A atuação nos dois jogos da repescagem contra a Suécia, que também só tem o Ibrahimovic, foi o ponto fora da curva, o brilho isolado no meio da obscuridade portuguesa.

O título do post resume bem a participação de Cristiano Ronaldo na Copa do Mundo de 2014. O atual melhor jogador do mundo foi mais um a ter uma despedida melancólica da Copa, sem ter uma atuação decente sequer, assim como toda a seleção de Portugal. Foi a terceira Copa dele, e só o terceiro gol marcado em uma trajetória descendente: em 2006, Portugal foi quarto colocado da Copa; em 2010, ficou nas oitavas ao enfrentar a Espanha; em 2014, perdeu de quatro a zero para espanha, marcou quatro gols, fez quatro pontos e foi eliminado na fase de grupos. Uma pena. E arrisco dizer que sua única vitória foi sobre uma Gana que também veio ao Brasil pagar mico.

Discordo, porém, quando dizem que “a Copa perde sem Cristiano Ronaldo”. Nada disso. A Copa não perde nada sem ele, porque ele não fez diferença nenhuma na Copa. Nem ele, nem seus companheiros de time fizeram nada de relevante ou que justificasse a continação da participação portuguesa presença na Copa do Mundo.

Um comentário sobre “Dia 15: um gol, zero caspa

  1. A Copa do Mundo só perde quando jogadores espetaculares a deixam. Cristiano Ronaldo não fez nada de espetacular – em nenhuma das Copas que participou. Até Saeed Al-Owairan, Rashidi Yekini e Carlos Valderrama fizeram mais que ele em Copas do Mundo.

    Al-Owairan? Aquele cara da Arábia Saudita que fez um golaço contra a Bélgica em 94? Caramba, esse veio lá das profundezas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s